Blog

CONHEÇA UM POUCO MAIS DAS NORMAS NR12

ENTENDA A NORMA REGULAMENTADORA 12 (NR12)

No post de hoje iremos entender o que é a Norma Regulamentadora – 12 (NR12) e suas exigências, vamos lá.

O QUE É NR12?

É uma norma regulamentadora que define referências técnicas, princípios fundamentais e medidas de proteção para garantir a saúde e integridade física dos trabalhadores, esta norma estabelece requisitos mínimos para prevenção de acidentes e doenças do trabalho nas fases de projeto e utilização de máquinas e equipamentos de todos tipos.

ITENS DA NR12

No documento oficial da NR12, são apresentadas medidas preventivas de acidentes, dentre elas estão:

1) Arranjo físico e instalações;

2) Instalações e Dispositivos elétricos;

3) Dispositivos de partida, acionamento e parada;

4) Sistemas de Segurança;

5) Dispositivos de parada de emergência;

6) Meios de acessos permanentes;

7) Componentes pressurizados;

8) Transportadores de Materiais;

9) Aspectos ergonômicos;

10) Manutenção, inspeção, preparação, ajustes e reparos entre outros…

TRABALHO EM REDES ENERGIZADAS, COM GUINDAUTO E CESTOS AÉREOS

A NR12 Anexo XII toca exatamente no ponto de equipamentos de guindar para elevação de pessoas e realização de trabalho em altura, e devemos distinguir os tipos de cestos citados pela norma, são eles:

CESTA AÉREA: Equipamento veicular destinado à elevação de pessoas para execução de trabalho em altura, dotado de braço móvel, articulado, telescópico ou misto, com caçamba ou plataforma, com ou sem isolamento elétrico, podendo, desde que projetado para este fim, também elevar material por meio de guincho e de lança complementar (JIB), respeitadas as especificações do fabricante.

CESTO ACOPLADO: Caçamba ou plataforma acoplada a um guindaste veicular para elevação de pessoas e execução de trabalho em altura, com ou sem isolamento elétrico, podendo também elevar material de apoio indispensável para realização do serviço.

CESTO SUSPENSO: Conjunto formado pelo sistema de suspensão e a Caçamba ou plataforma suspensa por equipamento de guindar que atenda aos requisitos de segurança deste anexo, para utilização em trabalhos em altura.

CONDIÇÕES MÍNIMAS DE SEGURANÇA EXIGIDAS PARA A UTILIZAÇÃO DO CESTO ACOPLADO EM GUINDAUTO

1) É obrigatório a utilização do cinto de segurança tipo paraquedista para execução de atividades em cesto acoplado em guindauto.

2) Os comandos do equipamento poderão ser operados somente por empregado que tenha sido aprovado em treinamento prático.

3) Devem ser evitados, sob qualquer pretexto, todos os tipos de improvisações que venham a comprometer a segurança das pessoas envolvidas durante a execução dos trabalhos ou no deslocamento do veículo pelas vias públicas;

4) Deverá ser respeitada a capacidade nominal de carga da caçamba ou plataforma estabelecida pelo fabricante;

5) Somente os materiais indispensáveis para realização do serviço poderão ser acomodados no interior da caçamba juntamente com o trabalhador;

6) Os controles inferiores do guindaste não devem ser operados com trabalhadores na caçamba, exceto em situações de emergência;

7) Para casos de cestos acoplados cujo controle superior é removível da caçamba, o trabalhador poderá acessar a caçamba somente se estiver portando o controle removível.

TAREFAS LIBERADAS PARA SEREM EXECUTADAS COM O AUXILIO DO CESTO EM REDES DESENERGIZADAS

1) Montagem e desmontagem de cruzamento aéreo em baixa tensão e média tensão, compacta e convencional;

2) Instalação e retirada de espaçadores losangulares (ninja) na rede compacta de média tensão;

3) Instalação e retirada de luminárias especiais;

4) Instalação e retirada de cruzetas;

5) Retensionamento de cabos;

6) Travessia de cabos sobre ruas e rodovias;

7) Instalação de chaves;

8) Instalação de conjunto de aterramento sela em estruturas com difícil acesso;

9) Emendas de cabos;

10) Instalação de Big Jumper;

11) Poda preventiva de árvores. A poda preventiva planejada, deverá ser executada quando as árvores estiverem se projetando em direção à rede;

Nota: Nas situações em que os galhos estão dentro da área contaminada ou tocando na rede de média tensão, esta deverá ser desligada e aterrada para realização da poda. Na impossibilidade de desligamento da rede, os trabalhos deverão ser realizados por equipes de linha viva.

12) Retirada de objetos estranhos;

13) Instalação de muflas.

TAREFAS LIBERADAS PARA SEREM EXECUTADAS COM O AUXILIO DO CESTO EM REDES DE BAIXA TENSÃO ENERGIZADAS

1) Instalação de espaçadores são liberadas desde que sejam utilizados lençóis isolantes e coberturas apropriadas e não haja possibilidade de toque da caçamba metálica nos cabos da rede.

2) Poda de galhos de árvores próximos ou tocando a rede de baixa tensão energizada poderá ser executada desde que sejam utilizadas ferramentas de cabo isolado, não haja possibilidade de toque da caçamba metálica nos cabos da rede e os galhos não venham a causar avarias na rede ou em veículos e a terceiros.

3) Execução de serviços de manutenção, construção e ligação de consumidores em redes de baixa tensão isoladas, desde que sejam utilizadas ferramentas de cabo isolado.

TAREFAS LIBERADAS PARA SEREM EXECUTADAS COM O AUXILIO DO CESTO EM REDES DE MÉDIA TENSÃO ENERGIZADAS

1) Retirada de pequenos objetos não metálicos de redes convencionais e compactas, tais como ramos de árvores, pipas, sapatos e tênis.

PASSOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO

1) Apreciação de Riscos – A primeira tarefa a ser executada é estudar e entender os perigos da máquina, classificando os riscos e criando uma lista de prioridades;

2) Projetos – Depois de entendido os riscos, é necessário projeto mecânico, elétrico, hidráulico, pneumático e de segurança para implementar a segurança na máquina;

3) Implementação – Nesta etapa, são fabricados e instalados painéis, circuitos de proteção elétrico/hidráulico e proteções mecânicas;

4) Complemento – A NR12 pede que a documentação da máquina esteja em Português do Brasil e tenha um mínimo de conteúdo, manuais, desenhos e escopo de treinamento da máquina devem ser revisitados e adequados;

5) Validação – Nesta etapa são validadas as soluções apontadas em projeto com a implementação;

6) Manutenção – Não basta emitir todos os documentos se não há um meio ou procedimento de mantê-los atualizados. É preciso determinar como os documentos serão mantidos, protegendo o investimento.

POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS À NÃO ADEQUAÇÃO À NR12

Toda e qualquer empresa está sujeita à fiscalização por parte do ministério do Trabalho e Emprego. Durante a visita, o fiscal verifica se as exigências da NR12 estão sendo atendidas. O risco de não se adequar a NR12 é alto, há fiscais que emitem multas no caso de infrações e os valores são elevados, podendo chegar a até 50 vezes o valor de referência do equipamento.

 
  WhatsApp
  WhatsApp